4

Embroidering the french way

I love embroidery, but I’m not the most patient person in the world, which means that this is a pleasure I don’t indulge in that often. Anyway, my grandmother had this collection of french booklets that had several incredible patterns. I’m really tempted to use one of those in a white plain dress to give it a little twist, a slightly Mexican flavour. There are so many wonderful patterns that I’m having a hard time deciding which one is my favourite. Check a couple of the pages out:

2

Bringin’ snow to the Tropics and felt ornaments

Yesterday was a crafty day. Actually, I had a crafty afternoon, since I procrastinated all morning. Anyway, I was adamant in finishing most of the ornaments by the end of the day. There wasn’t really a lot to do, it’s just that I’m a terrible lazy bum, so I figured it would take me the whole afternoon to call it a day.  So I embroidered and sew and applied the starched tissue on the back of my felt trees. I also started a crocheted ornaments’ project, with instructions from this CraftStylish post. I’ve used two different yarns and hooks, so I ended up with, surprise, two different size of ornaments. They’re totally cute, even though I’m not sure if they are going to the tree due to the huge amount of things that are already supposed to be on it.

Today will be one more busy day, with little time for crafts, but I really wanna try and make it snow in here. No, I’m not crazy, I’m really hoping for a snowstorm in São Paulo, even if it is fake and only exists in my bedroom. The idea was “borrowed” from CraftStylish’s contributor Jeffery Rudell and will, hopefully, delight my tropical family. You can find details on how to do it HERE, but I can already tell ya that the whole process is supa-dupa easy. I firmly believe that this is one of those things that is ready before you even know it!

So, I’ll let you all with some nice pics from my last crafty burst.


Felt everything! Ornaments for the tree and little trees for decorating other spaces. Oh, the big star is probably this year’s tree-topper. I hope it looks good up there.


Crochet ornaments unfinished. I only wanted to make as much as possible in the shortest time, so I left the weaving in for later.

0

Bordados nada convencionais

Ia fazer um post bonitinho sobre minhas últimas produções em tricô, mas o computador na casa do meu pai tem problemas de personalidade. MUITOS. Não reconheceu a câmera, não quis abrir o programa da Sony, não quis baixar as fotos, travou tudo e me deixou irritada. Fotos e detalhes, portanto, só quando eu chegar em casa e tiver acessos ao meu computador bonzinho e obediente.

Para não ficar sem uma imagem simpática por aqui, quero mostrar alguns dos moldes pra bordado do Sublime Stitching que eu mais gosto. Pra quem não conhece, o site oferece váááários moldes com temas diversos pras bordadeiras de mão cheia se divertirem à beça com designs nada tradicionais. Aqui, aqueles bordadinhos de avó não tem vez! Quer bordar um unicórnio? Tá na mão! Lutadores de lucha livre? Só pegar agulha e linha! Ou que tal caveiras mexicanas bonitinhas? Resumindo: tem pra todos os gostos. Aí embaixo dá pra ver quadro patterns que eu gosto bastante. Pra ver mais ou comprar qualquer um deles, é só clicar no link no começo desse parágrafo e ir até o site. Você vai se esbaldar com tanta coisa legal pra bordar.

ps: no fim das contas, esse post é quase uma terceira continuação de toda a história mexicana, né?

0

Viva México!

O México é pop e não é de hoje. O “fenômeno” é visível everywhere: revistas de todos os lugares fazem editoriais inspirados na estética mexicana, livros sobre a culinária e arquitetura do país abundam as livrarias e referências ao Dia dos Mortos podem ser achadas aos montes pela net. Pra resumir, basta dizer que tem muita coisa mexicana ou inspirada que faz sucesso e toooodo mundo adora.

Os antenados em moda, por exemplo, podem resgatar as batas com bordados tipicamente mexicanos que fizeram sucesso nos anos 70. Como a década volta com tudo e invade o estilo atual, vestidinhos soltos e fresquinhos com as tradicionais flores bordadas são uma boa opção para enfrentar nosso verão sem perder o estilo.

Os vestidos acima vieram do editorial de moda da penúltima edição da francesa Marie Claire Idées. Eles se inspiraram no colorido mexicano e em Frida Kahlo para produzir os visuais utilizados, misturando estampas e tons. Meus itens preferidos são… bom, posso escolher todos? Adorei os vestidos, o penteado (já vi em algum lugar que as tranças também vão estar em alta nos próximos meses), os brincos e pulseiras… Para ver maior, é só clicar em cima de cada foto.

Já essas duas peças aí em cima foram garimpados em um brechó do eBay, o Mama Stone Vintage. Elas são originais dos anos 70, liiindas! Pensando bem, não consigo concluir se o vestido todo branco tem bordados na gola ou se são furinhos que deixam entrever o corpo tatuado da modelo. De qualquer modo, o colar dela tem uma pegada mexicaninha, não? A fitinha na testa completa o look e o deixa uma graça.

Se você ainda não está convencida a apostar em itens com inspiração mexicana, dá uma olhada nesse link aqui: http://estilo.uol.com.br/moda/spfw/ultnot/2008/06/21/ult3902u746.jhtm. É um textinho do UOL falando sobre o desfile da Isabela Capeto na última Fashion Week. A estilista se inspirou no México e levou à passarela um bocado de saias com babados e peças bordadas bem legais.

Coma como um mexicano
Depois desse título-referência (Walk like an Egyptian, lembram?), devo dizer que eu não sou LOUCA por tacos, guacamole e afins (ainda prefiro um japa!), mas curto algumas cositas. Quesadillas, chilli com carne e tortillas com recheios variados (mas sem pimentão, pelamor!) são meus pratos preferidos, mas tudo o menos picante possível. Assim, eu sou bem fresca pra comida, então não sirvo de parâmetro. Meu irmão é mais soltinho na vida (nesse sentido, ok) e, ao que parece, traça todo e qualquer prato mexicano que colocarem na frente.

Para aprender receitas delicinha, vale o livro da foto, A Cozinha Mexicana, da editora Larousse, ou esse site: http://www.recipehound.com/Recipes/mexican.html. Gente, tem miiiilhares de pratos pra aprender nesse link. De qualquer jeito, acho bem válido ter um livro (esse ou qualquer outro que você prefira) sobre o assunto, com as fotos bonitinhas e tudo o mais.

Lucharán!
Pra continuar nosso passeio feliz por tudo que é mexicano e faz sucesso, não podia deixar de falar do desenho mais legal EVER, o Mucha Lucha! Ricochete, Pulga e Buena Niña, personagens principais, levam a vida tranqüila de um típico lutador de Lucha Libre. Eles vão pra escola (sim, os três são crianças), passeiam por aí, descobrem seus “poderes” (ok, não é bem isso, mas eu não sei o nome certo) e arranjam confusão com os colegas. Tudo dentro de suas máscaras. É, porque um verdadeiro lutador não pode NUNCA-EM-TEMPO-ALGUM mostrar seu rosto. A-DO-RO!

O desenho passa na Cartoon, acho. Quer dizer, eu vi o fim de um episódio hoje no fim da tarde e posso quase jurar que foi na Cartoon, mas como não tô acostumada a ver TV à tarde e durante a semana, já viu… posso bem ter confundido tudo!

Ah, e se você se empolgou e quer comprar uma máscara superhipermegalegal, é só clicar aqui! Destaque para Santo, também conhecido como El Enmascarado de Plata, o preferido de mi papá quando ele era pequeno.

Dia dos Mortos
Outro ponto beeeem legal dessa “mexicanidade” é o Día de los Muertos, que é o nosso Finados. A idéia básica é a mesma, mas a forma de ver a data é diferente. Enquanto a gente veste uma roupa “de luto”, fica triste e faz o dia cinza, os mexicanos fazem da coisa toda uma FIESTA! Bom, ok, não uma feeeesta, mas uma festa, entendem? Acontece que essa comemoração data de bem antes da chegada dos espanhóis e sua religião por lá. Enfim, pra eles, o que conta é realmente celebrar a vida dos que já se foram. Aí todo mundo constrói altares pra homenagear seus mortos e pra que eles vejam que são queridos. Ah, sim, é que, nesse dia, os mortos meio que voltam e podem contatar seus familiares vivos. A história é maomeno assim, mas o que conta aqui é que as celebrações deles envolvem muitas cores, enfeites mil, handcrafted goods, caveiras simpáticas e tudo o mais.

A foto ao lado foi encontrada no link aí embaixo e mostra um altar em Oaxaca.
http://www.flickr.com/photos/slack-a-gogo/sets/785696/

Visite o México!
Depois disso tudo, é provável que tenha dado uma vontadinha irresistível de ir até o México pra experimentar um pouco da cultura, moda e culinária in loco, néam? Dicas de lugares onde ficar, comer e passear podem ser conseguidas em inúmeros guias de viagem. Esse aí é o México Chic, lançado pela Publifolha. Adoro fotos de guias de viagem e acho que eles podem servir pra dar uma idéia geral do que esperar de um lugar. Sem falar que conhecer tantos lugares, mesmo que só pela leitura, já é uma maravilha!

E só pra explicar meu encanto todo pelo México: minha mãe já devia saber que seria assim ao me chamar de Adriana Augusta. Nome duplo, bem novela mexicana. Adoro!

0

Mural/porta-treco com bordados


jstrandom 093
Originally uploaded by wicked.wicked

Idéia tirada da última Marie Claire Idées. Gostei horrores porque dá pra adaptar desenhos e cores para qualquer ambiente e estilo. Uma coisa que eu quero mudar é a quantidade de bolsinhos. Vamos combinar que não tem como fazer um negócio desses só com 4 minibolsos. Uma sugestão legal é abusar das cores e fazer uns bordados mais básicos ou apostar em cores mais claras (como o da foto) e arrasar nos desenhos e cores dos bordados.

Vou tentar fazer um desses já nesse fim de semana, aí coloco o resultado aqui.

2

Bookworm en retard

new books

Esse post era pra falar das adições literárias mais recentes à minha biblioteca pessoal, como dizia um professor, mas, por algum motivo, eu atrasei horrores. É, porque esses livros foram comprados em fins de março, começo de abril, mais ou menos. O pior é que tantos outros vieram depois que eu não dei conta de ler tudo ainda. Sou viciada em livros, em pegá-los, virar as páginas, sentir a textura do papel, folhear bastante… Só depois disso eu começo a ler mesmo. Sim, eu sou um pouco tresloucada, mas o fato é que, lá em casa, sempre fomos obcecados por livros. Podemos ficar séculos sem comprar CDs e DVDs, por exemplo, mas é muito difícil a família se manter longe das livrarias por um mês.
Enfim, mesmo muito atrasada, vou falar um pouquinho desses livros que são (ou parecem ser) bem legais.

A moda e seu papel socialClasse, gênero e identidade das roupas
Diana Crane

Na realidade, esse livro foi um presente da irmã da mulher do meu pai. Não consegui ler nada dele, então, só posso imaginar que ele fale sobre o papel social da moda. Duh. =p
Enfim, embora eu me interesse por moda e pelas discussões a seu respeito, eu tenho andado bem mais focada em crafts e coisas do gênero. Por isso, quase tudo que não tem a ver com algum tipo de craft tem ficado meio de lado, no momento.

Doodle Stitchingfresh & fun embroidery for beginners
Aimee Ray

Nunca pensei que bordar pudesse ser tão divertido e produzir coisas tão legais. Aprendi quando era pequena e comecei a fazer meu paninho de amostras, mas me enchi logo. Anos depois, comecei a ver coisas legais na internet e fui atrás pra ver quem fazia, como fazia e tudo o mais. Resultado: me apaixonei! Comprei esse livro porque gosto dos designs da Aimee Ray e porque o livro traz um guiazinho com pontos básicos bem legal. Os projetos não são exatamente o que eu quero fazer, mas são ótimos pra inspiração, mesmo. Recomendo beeeem!

The Crafter’s Companiontips, tales, and patterns from a community of creative minds
Vários

Livro lindo e bem útil! Nele, vários crafters falam sobre suas experiências, inspirações, trabalho e produtos. É legal porque você fica entendendo um pouquinho mais sobre gente ótima como Amy Karol (Angry Chicken), Myra Masuda (My Little Mochi) e Hillary Lang (Wee Wonderfuls). Gostei bastante dos projetos, também, embora tenha pensando em várias coisinhas que poderiam ser diferentes pra ficar mais do meu jeito.

The Crafter Culture Handbook
Amy Spencer

Assim, esse livro é, indubitavelmente, um dos meu favoritos de todos os tempos na área de crafts. Fala sério, né. Onde mais você consegue aprender como fazer um chapéu de tricô, porta-copos, lip balm, bolsas, um porta-laptop e, ainda por cima, descobre como transformar uma máquina de escrever em um teclado que funciona com seu computador? Juro que nesse livro tem todas essas coisa e MUITO mais. É projeto que não acaba mais e você fica perdidinha pensando no que vai fazer primeiro. Sério, é bem um daqueles livros que não dá pra não ter!

1

(Pintando e) Bordando

Depois de ter visto uns bordados lindos no Flickr, fiquei com vontade de me jogar em mais esse craft. Aprendi a bordar com a minha mãe quando pequena, mas nunca tive muita paciência para a coisa. Meia hora de ponto cruz já era o suficiente para eu ficar de saco cheio e com vontade de arremessar tudo longe. Não muita coisa mudou, acho – ainda sou impaciente e tenho uma leve impressão que não vou agüentar ficar mais de uma hora bordando qualquer coisa. De qualquer jeito, depois de ver uma idéia pra lá de bacana no Making Stuff (unicórnio em jaqueta, feito pela criadora do Sublime Stitching), fiquei com vontade de bordar umas camisetinhas com temas vintage e cores fortes.

Para inspirar, dêem uma olhada nas imagens abaixo, todas tiradas do Flickr. Você pode ver, inclusive, uma imagem da mesma jaqueta que eu mencionei ali em cima. Fala sério, é cada coisa linda…

inspiration

Imagens de:
1. michelle & unicorn