0

Viva México!

O México é pop e não é de hoje. O “fenômeno” é visível everywhere: revistas de todos os lugares fazem editoriais inspirados na estética mexicana, livros sobre a culinária e arquitetura do país abundam as livrarias e referências ao Dia dos Mortos podem ser achadas aos montes pela net. Pra resumir, basta dizer que tem muita coisa mexicana ou inspirada que faz sucesso e toooodo mundo adora.

Os antenados em moda, por exemplo, podem resgatar as batas com bordados tipicamente mexicanos que fizeram sucesso nos anos 70. Como a década volta com tudo e invade o estilo atual, vestidinhos soltos e fresquinhos com as tradicionais flores bordadas são uma boa opção para enfrentar nosso verão sem perder o estilo.

Os vestidos acima vieram do editorial de moda da penúltima edição da francesa Marie Claire Idées. Eles se inspiraram no colorido mexicano e em Frida Kahlo para produzir os visuais utilizados, misturando estampas e tons. Meus itens preferidos são… bom, posso escolher todos? Adorei os vestidos, o penteado (já vi em algum lugar que as tranças também vão estar em alta nos próximos meses), os brincos e pulseiras… Para ver maior, é só clicar em cima de cada foto.

Já essas duas peças aí em cima foram garimpados em um brechó do eBay, o Mama Stone Vintage. Elas são originais dos anos 70, liiindas! Pensando bem, não consigo concluir se o vestido todo branco tem bordados na gola ou se são furinhos que deixam entrever o corpo tatuado da modelo. De qualquer modo, o colar dela tem uma pegada mexicaninha, não? A fitinha na testa completa o look e o deixa uma graça.

Se você ainda não está convencida a apostar em itens com inspiração mexicana, dá uma olhada nesse link aqui: http://estilo.uol.com.br/moda/spfw/ultnot/2008/06/21/ult3902u746.jhtm. É um textinho do UOL falando sobre o desfile da Isabela Capeto na última Fashion Week. A estilista se inspirou no México e levou à passarela um bocado de saias com babados e peças bordadas bem legais.

Coma como um mexicano
Depois desse título-referência (Walk like an Egyptian, lembram?), devo dizer que eu não sou LOUCA por tacos, guacamole e afins (ainda prefiro um japa!), mas curto algumas cositas. Quesadillas, chilli com carne e tortillas com recheios variados (mas sem pimentão, pelamor!) são meus pratos preferidos, mas tudo o menos picante possível. Assim, eu sou bem fresca pra comida, então não sirvo de parâmetro. Meu irmão é mais soltinho na vida (nesse sentido, ok) e, ao que parece, traça todo e qualquer prato mexicano que colocarem na frente.

Para aprender receitas delicinha, vale o livro da foto, A Cozinha Mexicana, da editora Larousse, ou esse site: http://www.recipehound.com/Recipes/mexican.html. Gente, tem miiiilhares de pratos pra aprender nesse link. De qualquer jeito, acho bem válido ter um livro (esse ou qualquer outro que você prefira) sobre o assunto, com as fotos bonitinhas e tudo o mais.

Lucharán!
Pra continuar nosso passeio feliz por tudo que é mexicano e faz sucesso, não podia deixar de falar do desenho mais legal EVER, o Mucha Lucha! Ricochete, Pulga e Buena Niña, personagens principais, levam a vida tranqüila de um típico lutador de Lucha Libre. Eles vão pra escola (sim, os três são crianças), passeiam por aí, descobrem seus “poderes” (ok, não é bem isso, mas eu não sei o nome certo) e arranjam confusão com os colegas. Tudo dentro de suas máscaras. É, porque um verdadeiro lutador não pode NUNCA-EM-TEMPO-ALGUM mostrar seu rosto. A-DO-RO!

O desenho passa na Cartoon, acho. Quer dizer, eu vi o fim de um episódio hoje no fim da tarde e posso quase jurar que foi na Cartoon, mas como não tô acostumada a ver TV à tarde e durante a semana, já viu… posso bem ter confundido tudo!

Ah, e se você se empolgou e quer comprar uma máscara superhipermegalegal, é só clicar aqui! Destaque para Santo, também conhecido como El Enmascarado de Plata, o preferido de mi papá quando ele era pequeno.

Dia dos Mortos
Outro ponto beeeem legal dessa “mexicanidade” é o Día de los Muertos, que é o nosso Finados. A idéia básica é a mesma, mas a forma de ver a data é diferente. Enquanto a gente veste uma roupa “de luto”, fica triste e faz o dia cinza, os mexicanos fazem da coisa toda uma FIESTA! Bom, ok, não uma feeeesta, mas uma festa, entendem? Acontece que essa comemoração data de bem antes da chegada dos espanhóis e sua religião por lá. Enfim, pra eles, o que conta é realmente celebrar a vida dos que já se foram. Aí todo mundo constrói altares pra homenagear seus mortos e pra que eles vejam que são queridos. Ah, sim, é que, nesse dia, os mortos meio que voltam e podem contatar seus familiares vivos. A história é maomeno assim, mas o que conta aqui é que as celebrações deles envolvem muitas cores, enfeites mil, handcrafted goods, caveiras simpáticas e tudo o mais.

A foto ao lado foi encontrada no link aí embaixo e mostra um altar em Oaxaca.
http://www.flickr.com/photos/slack-a-gogo/sets/785696/

Visite o México!
Depois disso tudo, é provável que tenha dado uma vontadinha irresistível de ir até o México pra experimentar um pouco da cultura, moda e culinária in loco, néam? Dicas de lugares onde ficar, comer e passear podem ser conseguidas em inúmeros guias de viagem. Esse aí é o México Chic, lançado pela Publifolha. Adoro fotos de guias de viagem e acho que eles podem servir pra dar uma idéia geral do que esperar de um lugar. Sem falar que conhecer tantos lugares, mesmo que só pela leitura, já é uma maravilha!

E só pra explicar meu encanto todo pelo México: minha mãe já devia saber que seria assim ao me chamar de Adriana Augusta. Nome duplo, bem novela mexicana. Adoro!