1

Comidinhas: Rondelli + Pão Delícia

Embora eu nunca tenha tido muita facilidade para cozinhar, sempre gostei da coisa. O problema que me aflige e é o causador de todas as tragédias culinárias que eu já protagonizei é, sem sombra de dúvidas, a distração. Lá estou eu, fazendo um simples brigadeiro, quando me pego a pensar na vida, no universo e em tudo o mais (ho!); o resultado é brigadeiro queimado, claro. E se isso acontece com um docinho fácil de fazer como o brigadeiro, dá pra imaginar que quando o número de ingredientes e etapas aumenta, a probabilidade de sair alguma coisa errado também é bem maior.
Recentemente, decidi que não era mais possível a situação continuar assim. Eu não sou daquelas que acha que a mulher moderna não precisa mais cozinhar e coisa e tal, muito pelo contrário! Portanto, pensei, tenho que aprender a fazer coisas mais complexas que um espaguete com molho de caixinha (eu, no entanto, AMO molho de caixinha e não pretendo largar essa paixão tão cedo). Meu primeiro almoço para a família foi o do Dia das Mães, e ele foi um sucesso, o que me incentivou a continuar o projeto (isso é um projeto, certo? Podia até ter sido uma resolução de Ano Novo).
Após todo esse preâmbulo, apresento o meu segundo almoço de domingo: Rondelli de presunto e queijo feito com massa de pastel, receita tirada do Doce Casinha. Adoro uma massinha e essa parecia tão fácil de fazer e tão gostosa que eu não tive dúvidas quando minha mãe perguntou o que eu ia fazer. Ficou uma delícia mesmo e todo mundo aprovou, até o namorado! Para acompanhar, uma carninha assada feita pela minha mãe.

Mais cooking...

No dia anterior, tinha feito um pãozinho também recheado com presunto e queijo (overdose, hein) que ficou bem bom, mesmo eu tendo esquecido de colocar SAL, tirar as sementes do tomate e pincelar gema para dar uma corzinha. Hum, cozinheira amadora tem dessas, né? Olha a foto aí:

Cooking...

Para quem quiser, aí vai a receita…

PÃO DELÍCIA
Ingredientes massa:
1 ½ xíc. chá de leite
1 xíc. café de óleo
1 colh. sopa de fermento biológico
1 colh. sopa de açúcar
1 ovo
1 pitada de sal
Farinha de trigo suficiente
1 gema para pincelar

Ingredientes recheio:
150g de presunto picado
150g de mussarela picada
2 tomates picados
Sal, orégano e cheiro-verde

Modo de preparo:
Dissolva o fermento no leite e junte o óleo, o açúcar, o ovo e o sal. Aos poucos, acrescente a farinha de trigo e sove até que a massa se solte das mãos. Deixe crescer por 30 minutos. Misture todos os ingredientes para o recheio e reserve. Após crescida, abra a massa com rolo e recheie. Enrole e deixe de crescer novamente. Pincele com gema e leve para assar em forno pré-aquecido até corar.

1

(Re)Aprendendo crochê circular

Depois de muito penar tentando fazer bichinhos de crochê, descobri o que eu fazia errado. Minha idéia de crochê em círculo estava um pouco errada. Quer dizer, os meus resultados finais ficavam até que legais, mas não podiam ser chamados de círculos; estavam mais para caracóis. Claro que, dependendo do projeto, esse tipo de coisa cai bem, mas nos amigurumis da vida isso não estava dando certo.

Adorn Magazine - www.adornmag.com

Felizmente pra mim, o site da Adorn Magazine tem uma seção pra lá de legal de dicas que deixou beeeem claro o que eu andava fazendo de errado; o problema era que eu não havia entendido como crochetar em círculo. Com os gráficos e explicações deles, entendi direitinho e não vejo a hora de chegar em casa para colocar tudo em prática.

Para ajudar qualquer pessoa que queira se aventurar no mundo do crochê circular, estou colocando as imagens e as instruções (em inglês) aqui. Tudo foi retirado do site da revista Adorn Magazine, o www.adornmag.com. Lá vocês podem encontrar outras dicas e conferir o que tem na edição atual. Só não descobri ainda se dá pra comprar ou fazer assinatura direto daqui do Brasil. Enfim, have a blast, peeps!

crochecircular from www.adornmag.com

crochecircular-exemplo from www.adornmag.com

HOW TO:

1. Start with a foundation ring. Make a slipknot on the end of the yarn and chain four. To make each chain stitch, slip hook through slipknot (or previous stitch), wrap yarn over the hook, and pull through.

2. To join: insert yarn into the slipknot you made. You now have two loops on the hook. Wrap yarn over hook and pull through both loops. This is called a slip stitch. To get started on your first round, chain two (to account for the height of the double crochet stitch). You will do this at the end of each round.

3. Make ten double crochet stitches for the first round. To make a double crochet stitch, wrap yarn over hook, place hook through center ring, wrap around hook again. (fig. 3a). Pull yarn through first two loops on hook. Now you have two loops on your hook. Wrap yarn over hook (without inserting it into the stitch this time) and pull through both loops. (fig. 3b). This counts as one double crochet stitch, make ten total.

4. Once you have made ten double crochet stitches into the center ring, join last stitch to the first stitch as shown by the arrow (fig. 4).

5. Chain two and begin your next round. Make two double crochet stitches in each stitch from the previous round (this is called an increase). Now it’s time for a little math. The basic premise for crocheting in the round is to add the number of stitches you started with (in this case, 10) to each round. So for the second round, you’ll make 20 stitches, meaning an increase in every stitch. For the third round, you’ll add 10 again, for a total of 30 stitches. This means you’ll add an increase to every other stitch. To figure out where to place the increases on each round, simply subtract 1 from the round number. For example, on the fourth round you’ll increase every third stitch, on the fifth, increase every fourth stitch. Continue making rounds this way until circle reaches desired size. Consult table for number of rounds needed in each project.


(taken from
www.adornmag.com)
1

Shrinky Dinks – o plastiquinho mágico!

Blog semi-abandonado. Preciso baixar as fotos da câmera pra mostrar o que eu andei aprontando na cozinha nesse último fim de semana. E olha que eu fiz lanche no sábado e almoço no domingo após ter extraído dois dentes do siso. Isso é que é curso de mãezinha – módulo ‘como cozinhar para a família quando se tem dor’.

Bom, enquanto nada disso aparece por aqui, eu andei xeretando um pouco na internet pra descobrir mais sobre os maravilhosos Shrinky Dinks. E o que vem a ser isso? Bom, o Shrinky Dinks é um shrinkable plastic, isto é, um plástico que encolhe e, ao fazer isso, conserva qualquer desenho que você tiver pintado nele. Segundo o site oficial, essa maravilha dos deuses existe desde 1973 e só precisa ir ao forno para diminuir seu tamanho a 1/3 do inicial e ficar cerca de nove vezes mais grossa. Holy cow!

“E para que diabos eu vou usar essa joça?”, você pode estar se perguntando. Saiba, então, que as possibilidades são infinitas! Ok, talvez não infinitas, mas com certeza dá pra fazer bastante coisa com o plastiquinho mágico. Lindos colares, por exemplo.

shrinkydinks-tackytophat

Esses aí em cima foram feitos pela Katie e podem ser visualizados individualmente no Flickr dela, TackyTopHat. Eles são bem o tipo de colar que eu gosto, coloridos e com um toque infantil, além de serem praticamente únicos.

my-pirate-necklace-by-lawchick

Eu já tinha entrado em contato com os Shrinky Dinks durante o Coloriffic Swap-o-rama de março (ou seria abril?). Um dos presentinhos da garota que me tirou foi um maravilhoso colar com um baú e uma espada piratas (esse aí em cima!). Eu adorei e só aí fiz a conexão entre aquela coisinha de plástico na minha mão e os colares que eu tinha visto pela internet.

Agora, estou louca atrás de algum lugar pra comprar. Infelizmente, não conheço ninguém que esteja de viagem marcada pro exterior pra me trazer. A solução, portanto, é achar pra comprar pela internet ou ver se consigo alguém de lá pra me mandar. Cruzando os dedos!

1

Baby steps na cozinha

Bom, resolvi colocar a “mãezinha” que existe em mim pra fora, neste domingo. Bastante conveniente, não é? Enfim, passei a semana na internet, à cata de uma receita que fosse fácil de fazer (eu sou uma iniciante beeeem iniciante nesses assuntos culinários) e que pudesse agradar a todo mundo lá em casa. Ah, sim… Isso tudo porque eu fiquei de fazer o almoço de Dias das Mães pra minha família. Achei essa receita que parecia conjugar os dois supra-citados critérios, além de ter uma cara muito boa e ser de carne branca (adoro!). Frango com páprica e iogurte, postado pela Dadivosa bem aqui! A preparação foi realmente fácil e não apresentou nenhuma dificuldade pra mim. Ok, eu não sou tãããão iniciante assim, mas acreditem quando eu falo que pra fazer esse franguinho não tem mistério algum. Bem legal, já que estou tentando aprender a cozinhar aos pouquinhos, com passinhos pequenos pra não tropeçar feio. Então, as instruções são super claras, não tem uma tonelada de ingredientes – perfeito! Todo mundo gostou bastante, ao que parece. Olha a foto dele aí embaixo, prontinho para ser servido.

comidinha

_

E, finalmente, após muito tempo de procura, encontrei um pacotinho de deco-tape na Liberdade. Acho que eu não estava procurando direito porque várias pessoas me explicaram onde tinham comprado seus durex decorados e, mesmo assim, eu não achava. Problemas de vista, de inteligência, de alguma coisa. De qualquer jeito, agora eu tenho deco-tapes e sou uma pessoa mais feliz. Ueba!

deco-tape

0

Cell phone/iPod cozy on the making

Meu celular estava exalando seus últimos suspiros – a bateria não agüentava muito tempo, ele já desligava sozinho e outros problemas decorrentes da idade avançada do bichinho. Então, resolvi comprar outro logo de uma vez, sem enrolações. Aí apareceu um problema: como fazer para evitar riscos no celular recém-adquirido? Uma capinha, claro! Só que eu não gosto muito das capinhas que eu vejo por aí, portanto o negócio é eu criar a minha própria. Já estava pensando em fazer isso para meu iPod – queria um cozy beeem bonito e que fosse mais prático daqueles que eu conheço -, mas o pobre mp3 player comemorou faz tempo seu aniversário de um ano e nada de ganhar uma roupinha mais ajeitada (ele continua com a capa preta que vem junto). Ok, eu tenho mesmo é que criar vergonha na cara e parar de procrastinar a coisa toda. Disposta a acabar com essa lenga-lenga, decidi começar essa semana a “produção”. Já dei uma garimpada pela internet atrás de inspiração e cheguei aos modelos aí embaixo:

inspiração

Os modelos ou fotos não são meus, ok? A partir do canto superior esquerdo, em sentido horário: ChicBoutique, DesignsbyTami, Mirkah, Suezybees, Mamadama Designs, Kate and Company.

Vai ser uma coisa parecida com algum desses, ou com todos, sei lá. Para o iPod, eu tenho umas idéias diferentes, mas não tenho todo o material que preciso e não vou ter tempo de comprar, então vou fazer um básico pra ir agüentando e já vou criar o modelo do que eu quero. Assim que as coisas forem se encaminhando, posto fotos aqui.

(É, esse post foi bem meia-boca, mas é só pra não deixar o blog muito desatualizado.)

0

Esta terça pós-feriado seria uma tortura se não fosse por um detalhezinho: meu aniversário! Uhu! Já ganhei presente do namorado e da maman, e estou felicíssima. Afinal, não é todo dia que a gente comemora um quarto de século. Pois é, estou ficando velha… é oficial, agora! Mas nada de crise; idade é só um número, como dizem.
Fora isso, a produção de coisinhas pra I’m a Zombie continua em ritmo leeento, quaaase paraaando. Não tá dando tempo de fazer nada, é incrível. Mesmo assim, consegui finalizar umas peças. Olha uma amostrinha aí embaixo…

Crafty holiday 1

Algumas já viraram lindos colares – um pra mim, outro pro namorado rockstar – como dá pra ver na foto abaixo.

Crafty holiday 2

Desconsiderem o papel laminado, por favor. Só usei pra forrar a forma antes de levar a cerâmica plástica ao forno.